quinta-feira, 7 de junho de 2007

Vamos falar claro sobre... homossexualidade


Com o subtítulo “17 de Maio Dia Mundial da Luta contra a Homofobia”, arrasta-se desde há algum tempo no “centro geodésico” de Lisboa, em pleno Marquês de Pombal, um cartaz aparentemente inócuo de duas mulheres a iniciarem um beijo. O cartaz é da responsabilidade da Juventude Socialista e está “plantado” entre outros referentes à campanha para a Câmara Municipal de Lisboa e sensivelmente localizado onde se encontrava anteriormente o célebre placard do PNR, de laivos xenófobos.
Muito embora se tenha registado até agora uma razoável indiferença ao cartaz por parte da população que atravessa a cidade ou se desloca à feira do livro no Parque Eduardo VII, o que é decepcionante para os seus promotores, ainda assim vale a pena comentar mais este flop das forças anti-família em permanente actuação na nossa sociedade.
O cartaz pretende branquear a homosexualidade de diversas formas. Ao contrário dos racistas inimigos dos imigrantes que lá se exibiam antes, eles, vanguardistas e humanistas, aceitam e acolhem todo o tipo de comportamentos sexuais sem discriminação.Ao contrário da intransigência e rigidez da moral de há 2 mil anos, eles, avançados, aceitam as pessoas como elas são, qualquer que seja a sua inclinação sexual, gays, lésbicas, transsexuais... porque afinal todos somos seres humanos. E por fim, como se pode depreender da naturalidade com que o próprio cartaz é encarado pelos milhares de pessoas que por ali passam a toda a hora, estará provada a aceitação tácita por parte dos cidadãos anónimos de que a homossexualidade é natural e normal, tão normal como ser de nacionalidade chinesa ou de religião muçulmana.
Só que... não é bem verdade... estamos outra vez perante a velha história do lobo disfarçado de cordeiro. Não vale a pena ir muito longe na análise mas pensemos apenas por alguns segundos na tragédia que representa a SIDA, cujas origens – é bem sabido – têm muito a ver com a prática cada vez mais generalizada da sodomia a partir da “revolução sexual” dos anos 60. A responsabilidade pela expansão desta e doutras doenças, mesmo não do foro sexual como as próprias tuberculoses ultra-resistentes tem muito a ver com a promiscuidade sexual de que é expoente máximo a expanção da homossexualidade, e em particular da sodomia, um comportamente e um vício claramente nefasto para a sociedade como foi sempre reconhecido ao longo dos séculos. Para já não falar na fronteira por vezes muito ténue entre homossexualidade, prostituição, pornografia, pedofilia.
A sodomia é uma forma de prazer? Talvez. A droga é uma fonte de prazer? Certamente. Mas sabemos onde ambas conduzem, ao colapso da dignidade pessoal, da família e da própria sociedade.. É tempo de dizer basta. Basta de retrocessos civilizacionais!

61 comentários:

Anónimo disse...

Penso que hoje em dia confunde-se muito atitudes de discriminação contra os gays e lésbicas e atitudes de aprovação da homosexualidade masculina e feminina.
São coisas diferentes.
Eu posso não pôr de lado alguém só por causa das suas opções sexuais, mas não posso ser obrigado a concordar com essas mesmas opções.

sete e picos disse...

Vão-me desculpar mas o que é que uma coisa tem a ver com a outra. O que é que a sodomia tem a ver com lésbicas, por exemplo, o que é que praticar sexo anal tem a ver com homosexualidade? O que é que aSida hoej em dia tem a ver com a homosexualidade, sendo este um dos grupos que mais tem apostado em campanhas de prevenção. Vão-me perdoar, mas este post não tem sentido absolutamente nenhum...

o chofer a dançar com a criada disse...

mas que parvoíce de post!
mas desde quando é que a homosexualidade tem directamente a ver com promiscuídade? essa é boa!!!
Desde quando é que os heterosexuais deixaram de ser promíscuos?

mas que falta de chá!!

o chofer a dançar com a criada disse...

e mais... família???
que eu saiba desde sempre existiu uma enorme percentagem de homens e mulheres casados e com filhos e que são homosexuais..
desde quando é que a formação de uma família implica a não existência da homosexualidade?
mas que falta de visão...

liliana disse...

concordo com akilo k o chofer disse mas acrescento mais uma coisa....akeles k são casados e homossexuais em k o casamento serve para esconder o seu verdadeiro eu e constroem uma familia não estarao a ser prosmicuos???é k construir uma familia na base da mentira?'é isso k defendem ??mentiras??
este post é um atentado aos direitos humanos.como podem falar em familia s nem seker sabem o k é um ser humano

Bug disse...

Tenho apenas a referir que todo o post é absolutamente ridículo. No entanto, o que mais me deixa perplexa é ler "Ao contrário da intransigência e rigidez da moral de há 2 mil anos, eles, avançados, aceitam as pessoas como elas são, qualquer que seja a sua inclinação sexual, gays, lésbicas, transsexuais..." Mas como é que alguém que tem a lata de escrever um post destes se dá ao luxo de não fazer a mínima ideia do significado de orientação sexual? quando é que vai entrar nessas vossas cabecinhas que a transexualidade NÃO é uma orientação sexual? Já alguma vez ouviram falar no termo: "identidade de género"?

Anónimo disse...

1º- sodomia é um nome que se dá ao sexo anal quer seja entre casais homossexuais OU heterossexuais.

2º- promiscuidade tem a ver com cada individuo e não com um grupo de pessoas logo os homossexuais não são promíscuos, certas pessoas, independentemente da sua orientação sexual, nacionalidade, idade ou o que quer que seja, é que podem ser.

3º- não vejo como pode existir uma fronteira "muito ténue entre homossexualidade, prostituição, pornografia, pedofilia.", isso é simplesmente uma afirmação sem nexo e preconceituosa.

A homossexualidade na grande maioria dos casos não é uma opção mas sim orientação já que não se escolhe quem se ama ou mesmo por quem se sente atraído.

Não percebo como alguém pode perder tempo a ofender e discriminar pessoas que nem conhecem por uma coisa tão natural e pessoal como a sua sexualidade como se afectasse a sua vida em alguma coisa.

E é claro que estar casado só para esconder a verdade é errado mas isso não acontece só com homossexuais. Nada é assim tão literal, muitas vezes, como em qualquer relação, as pessoas cometem erros e confundem sentimentos e há pessoas que são capazes de os desfazer e outras que vivem numa mentira mas tudo isso está relacionado com a personalidade de cada um independentemente de tudo o resto.

nerd disse...

pois eu gostei do post. não é muito frequente ler 3 vezes sodomia em 11 linhas de 2 parágrafos.

parabéns, algarve pela vida, por estes pequenos momentos de prazer.

gerou-se a confusão natural disse...

Uma vez que já está (quase) tudo dito, resta-me dizer-lhe que não, a expansão (com S e não com Ç) da homossexualidade não é factor que exponencie a SIDA mas que esta tem vindo a aumentar, em Portugal, justamente no seio da população heterossexual por se crer nesse estúpido mito. Vá primeiro ler os números e interpretá-los!

Miguel disse...

mas ... a sodomia é má? ... uma coisa tão boa... penso que deve haver aqui um engano qualquer.

Tem a certeza que é de sexo anal de que fala?
É que é muito bom, sabe?

FuckItAll disse...

Oh João Paulo... acha mesmo que o sexo anal foi inventado nos anos 60? Ou a homossexualidade, sequer? É porque se acha, talvez devesse abster-se de escrever acerca de sexualidade antes de ler umas coisinhas...

Anónimo disse...

É díficíl num único post revelar tanta ignorância sobre os assuntos que se falam.
Mas o autor deste consegue bater recordes.

Só mais uma achega:
a homosexualidade era considerada normal e até bem vista nas sociedades antigas mais desenvolvidas: Egípcia, Grega e Romana. É só com a imposição do cristanismo na Europa (várias centenas de anos após a morte de Jesus Cristo) é que começou a ser considerada um mal de forma generalizada.
Até nas afirmações de cariz histórico a autor faz afirmações completamente falsas.

Anónimo disse...

Mas que chorrilho de asneiras, Geada.
Inês Lima

Anónimo disse...

Dizer que a SIDA tem origem na sodomia, é a mesma coisa que dizer que a igreja católica, através de um seu laboratório científico no vaticano, desenvolveu o vírus para levar o mundo à abstinência sexual! É tão grande uma parvoíce como outra.

gerencia disse...

Passando por cima dos disparates (históricos e outros), é fantástico ver como é possível ser tão intolerante.

Ana disse...

Não, desculpa, a melhor parte é quando a ORIGEM (atenção: ORIGEM) da SIDA "têm muito a ver com a prática cada vez mais generalizada da sodomia a partir da “revolução sexual” dos anos 60."... e depois os outros é que andam drogados...

EP disse...

Caro Geada,

Apetecia-me claramente ofende-lo com a quantidade de barbaridades expostas em tão pequeno texto, mas não lhe vou dar esse gosto.

Nozgul disse...

Allô, allô:
http://www.hazteoir.org/foro/viewtopic.php?t=14231&highlight=homosexualidad

MRC disse...

Caros amigos.
É bom que se habituem à diversidade de opiniões.
O país, por enquanto, apesar do desejo oculto de alguns, ainda não é o beco do Intendente e em 10 milhões de habitantes, há muita gente que pode pensar de forma diferente e ainda bem que assim é !
Também por enquanto, ainda não há morais "oficiais" de Estado.
E, se forem ver pela blogosfera o JPG não é o único a falar sobre estas coisas.
Vejam, por exemplo, o post do espumadamente em
http://espumadamente.blogspot.com/2007/06/mais-uma-parada.html#comments
Essa história "do quem não pensa como eu, é burro" tem mais a ver com a Coreia do Norte ou a União Soviética Estalinista...

Tonibler disse...

Ridículo!

Anónimo disse...

Ó homem, olhe que tanta asneira junto deixa marcas na pele :). E não se trata de "quem não pensa como eu é burro"! O Post não tem muita ponta por onde se lhe pegue. Não é factual, é tremendamente preconceituoso, enfim, revela uma mente apenas capaz de absorver tralha. E sim, "quem não pensa é burro". Viu o comentador anterior como retirando algumas palavras se volta a ter uma afirmação verdadeira?

D. Henriques disse...

Parabéns ao autor do "Post", a quantidade de "paneleiros" e "fufas" ( ou se calhar até é o mesmo sob nicks diferentes) que vem para aqui mandar "bocas" insultuosas, só faz ter mais pena dessa gentinha.
Citando um ilustre pensador francês, " a forma mais rápida de destruir e aniquilar um país ou território é enchê-lo de invertidos(as); ao fim de uma geração esse território transformar-se num deserto".

FuckItAll disse...

MRC, há-de ter reparado que ninguém questionou o direito de JPG a ter as opiniões que quiser; apenas nos divertimos todos com os disparates das afirmações supostamente factuais (não de opinião) que aqui ficaram.

Mas já sabemos que tende a comentar coisas que ninguém ecreveu.

João Carlos Costa disse...

Pois é caro MRC...
Mas aqui não se trata de "quem não pensa como eu é burro". A verdadeira questão é que o Sr. Geada seria burro mesmo que pensasse como eu. É burro porque escreve apoiado nas convicçõezinhas e não no conhecimento. É burro porque defende os comportamentos que ele acha correctos - nada contra a propósito - com ignorância atrás de disparate, com mistificação atrás de hipocrisia.
É que, não sei se sabe, a estupidez é muito perigosa. E a estupidez que se julga ao abrigo da crítica ainda pior é...

Shrek disse...

A Fernanda Câncio anda tão entusiasmada com a festa do orgulho gay de Lisboa que até já comete erros de português e tudo.
Agora iliteracia, escreve-se, no entender dela, “ileteracia”.
Ó Fernanda, lá no arraial gay não dava para os bichas lá do sítio fazerem uma vaquinha e oferecerem-te um dicionário de português, mulher!

Hermafrodita disse...

Ó shrek, é aquela coisa, quando se tem de explicar a ironia esta deixa de o ser, percebe?

De resto o post está muito bom, excelente mesmo, não fosse pelo conjunto de ódios mal amanhados em forma de texto e pelo mau enquadramento da imagem.

Anónimo disse...

ehehehehe

parece dos gato fedorente, este é um blog de humor, não perceberam ainda?

antonio

G. disse...

Senhores Geada e MRC,

Os senhores até podem escrever e opinar sobre o que quiserem. Podem até ser contra a existência de Gays, Lésbicas, Bissexuais e Transsexuais. Não deverão é ser contra o facto que são pessoas, pois são-no, de facto. E sendo pessoas, que, garanto-vos, não vos querem obrigar a terem a mesma orientação sexual, respeitando a diversidade da sociedade em que vivemos, apenas querem poder ter o modelo de família que entenderem escolher, sem prejudicar o vosso. Por uma questão de Direitos Humanos ! Aliás, se tivessem passado pelo Arraial Pride de Lisboa, ontem, teriam visto como a Homossexualidade, a transsexualidade e a heterossexualidade conviveram em perfeita harmonia, profícua interacção e respeito pela diferença, como se deseja numa sociedade justa e solidária. Vejam se podem lá passar, no próximo. Depois disso, voltem a escrever sobre a temática.

MRC disse...

Cara(o) Shrek,
Acho que se enganou, talvez por, no seu computador, a palavra não aparecer na totalidade.
A Fernanda falou em "iletrada"; não em "ileteracia".
Por isso, desculpe mas não há qualquer erro.

Graça disse...

Já agora vejam os dados das Nações Unidas sobre a propagação da SIDA onde está lá muito claro que o grupo dos toxicodependentes, das prostitutas e clientes de prostitutas e dos homossexuais são os 3 de maior risco.

Veja-se em:
http://data.unaids.org/pub/EPISlides/2006/2006EpiUpdateSlide005.ppt#339,1,Slide 1

Em 2005, na Europa Ocidental, os grupos de toxicodependentes e de homossexuais eram os 1ºs praticamente ex aequo em nº de casos de SIDA, aparecendo o grupo dos heterossexuais cerca de 10.000 casas abaixo.

Veja-se em:
http://data.unaids.org/pub/EPISlides/2006/2006EpiUpdateSlide014.ppt

E ainda sobre esta temática, veja-se em http://noticias.terra.com.br/ciencia/interna/0,,OI211817-EI298,00.html

sob o título
Aids volta a crescer entre os gays, diz ONU

Anónimo disse...

Dados frescos relativos a Portugal:
http://www.insarj.pt/site/resources/docs/SIDA_31_Dezembro_2006.pdf

Opinar é uma coisa, passar informação errada é outa.

Graça, vá lá ver o que significa incidência e prevalência.

E se um dos vossos filhos for homossexual?

Bolas!!!

Anónimo disse...

Caro MRC, é bom que se habitue ao facto de existirem pessoas que acham este seu post um disparate. Chama-se a isto debate de ideias, democracia, etc, e há muito que está testado e aprovado como coisa boa. É uma coisa que até entre amigos funciona. Isto não é exactamente um clube de provadores de chá. Na Coreia do Norte, onde estas coisas não existem, os que discordam de si não vêm exactamente para um blog dizer que você diz disparates...

Sprite

MRC disse...

Caro anónimo (adoro quando as pessoas se escondem...)

Está-se a referir ao meu post (!?) ou ao meu comentário?

Essa do debate de ideias incluir insultos, para mim, é nova.

Será uma nova ideia de Democracia inspirada no Marco, do big Brother, talvez?

Anónimo disse...

De que insulto é que está a falar? Deste? "Para já não falar na fronteira por vezes muito ténue entre homossexualidade, prostituição, pornografia, pedofilia."

Não, eu disse-lhge uma coisa bastante soft. Disse-lhe apenas que tem de aceitar que faz parte das regras do jogo do debate aceitar que alguém diga que as suas teses são um disparate.

anarresti disse...

ao autor do texto talvez seja proveitoso reflectir sobre o facto de os seus leitores [os que se dão ao trabalho de comentar, pelo menos], não virem aqui para aplaudir tanta falta de argumentos mas para refutar o que diz com uma confiança e falta de fundamentação que concorrem entre si. não consegue, pelos vistos, angariar muitos apoiantes para o que escreve neste texto. e isso é um sinal importante. só quem está completamente desinformado, é preconceituoso e tem orgulho nisso ou prefere separar a humanidade em puros e perversos é que lhe dá trela. a quem é que consegue vender essa ideia de que grupos de defesa de direitos civis são "forças anti-família"?

Anónimo disse...

Joãozinho, aprenda lá a escrever expansão e depois venha cá que a Tia ensina-lhe o que é um homo..zzz... homo..zzzz homem sexual.

Tia Diácona

Anónimo disse...

Car@s membros deste blogue,

Neste ano de 2007 comemora-se o Ano Europeu da Igualdade de Oportunidades para Todos, uma iniciativa do Parlamento Europeu e do Conselho Europeu. Com a promoção da Igualdade de Oportunidades e da Não Discriminação pretende-se sensibilizar a população para os benefícios de uma sociedade mais justa e solidária, onde se ofereçam a todas as pessoas, independentemente do seu sexo, origem étnica ou racial, religião ou crença, deficiência, idade e orientação sexual, as mesmas oportunidades. Procura evidenciar os benefícios da diversidade como base de uma vitalidade socioeconómica, componente essencial da prosperidade desta Europa de hoje, ainda mais alargada e diversa que antes.

O Tratado que institui a Comunidade Europeia, no seu artigo 2º, estabelece que a promoção da igualdade entre homens e mulheres é uma das missões essenciais da comunidade, o nº2 do artigo 3º, impõe à Comunidade a obrigação de eliminar as desigualdades e promover a igualdade entre homens e mulheres em todos os seus domínios de acção, e o artigo 13º, advoga o combate à discriminação em razão do sexo, raça ou origem étnica, religião ou crença, deficiência, idade ou orientação sexual.

A Agenda Social 2005-2010, que complementa e apoia a Estratégia de Lisboa, diz-nos que uma das prioridades desta agenda é a promoção da igualdade de oportunidades para todos enquanto meio para alcançar uma sociedade mais inclusiva a nível social. No entanto, na Europa, verifica-se que subsistem ainda práticas e atitudes discriminatórias, dito pelo Parlamento Europeu, Comissão Europeia e Conselho Europeu.

O recente Eurobarómetro, que pretendeu avaliar a percepção da discriminação nos vários países da União Europeia, demonstra que em Portugal a discriminação com base na Orientação Sexual é a mais gritante, onde 67% das pessoas inquiridas afirmam que esta discriminação é generalizada, por oposição à média de 50 % na União Europeia, pelo que se afirma como fundamental o combate a este tipo de discriminação. Assim, impera fomentar uma discussão alargada das causas e consequências da discriminação com base na Orientação Sexual e na Identidade de Género.

Há pessoas que foram e ainda são humilhadas, cujos direitos têm sido ignorados, com a sua dignidade ofendida, a sua identidade negada e a liberdade reprimida, com risco, inclusive, para a própria vida.

O Parlamento Europeu aprovou, em 2006, uma resolução contra a Homofobia, onde se recomenda a todos os Estados Membros que tomem medidas para acabar com a perseguição de homossexuais e adoptarem medidas legislativas para pôr fim à discriminação de parceiros do mesmo sexo em matéria de sucessão, propriedade, locação, pensão, impostos, segurança social, etc.

A Constituição da República Portuguesa, no seu artigo 13º, diz que ninguém pode ser privilegiado, beneficiado, prejudicado, privado de qualquer direito ou isento de qualquer dever em razão de ascendência, sexo, raça, língua, território de origem, religião, convicções políticas ou ideológicas, instrução, situação económica, condição social ou orientação sexual.

Por tudo isto, dificilmente (para não utilizar uma expressão de impossibilidade) consigo encaixar este texto do João Paulo Geada numa lógica de progresso civilizacional, de construção de uma sociedade mais justa e solidária como a que, julgo, pretendemos todos e todas. Mas espero ter-vos ajudado, acima de tudo.

Daniel Oliveira disse...

Uma declaração de João Paulo Geada sobre o mesmo assunto (SIDA e Sodomia) em http://arrastao.weblog.com.pt/arquivo/2007/06/post_14

Xico disse...

Considero a homossexualidade como mais uma das expressões naturais da sexualidade, visto o homem ser um ser sexuado! Isto não significa que esteja sempre de acordo com a agenda das organizações LGBT. Quase nunca estou, mas este post acabou de lhes fazer um precioso favor, tal é a estupidez da argumentação!
Deixo-lhe aqui, para aclarar o espírito, uma pequena passagem de David do 2º livro de Samuel:

"Jónatas, meu irmão, que angústia sofro por ti!
Como eu te amava!
O teu amor era uma maravilha para mim
mais excelente que o das mulheres."
2Sm 1,26

Ricardo disse...

"expanção da homossexualidade" é bonito. Primeiro porque espansão está mal escrito, o que mostra o nível cultural do autor. Depois gostava que tão ilustre historiador mostrasse as estatísticas em que se baseou para dizer que esse mal terrível se começou a alastrar por aí.
Fiquei com medo.

José Pedro disse...

Richard Dawkins é que tem razão: temos que levantar a nossa voz contra toda a religião, mesmo a versão "moderada" da mesma, porque também essa propicia o aparecimento do fundamentalismo. Temos que impedir que crianças sejam abusadas na sua inocência e incutidas de mentiras sobre a vida, e deixá-las crescer até que possam conscientemente escolher a sua religião. É através da educação, ensinando as pessoas a pensar por si próprias, que conseguiremos combater a intolerância e caminhar para um futuro mais evoluído.

O 11 de Setembro não aconteceu porque as pessoas são más, ou porque existe um "eixo do mal" no mundo. Aconteceu porque os suicidas acreditavam verdadeiramente na salvação eterna, na promessa das virgens no paraíso e mais uma data de coisas sem qualquer sentido. É a religião, que incute falsas realidades nas pessoas, que leva a estes acontecimentos.

Xico disse...

Caro José Pedro,
O seu comentário está ao nível do post.
Quanto à educação das criancinhas pergunte aos filhos do Bertrand Russel o que acharam das teorias do pai!
Depois explique-me o que é uma falsa realidade...!
Depois explique-me qual era a religião de Pol Pot!
Depois explique-me qual era a religião de Stalin.
Depois explique-me qual a religião dos dirigentes da China, que condenam crianças à morte!

DUCA disse...

Helena Petrovna Blavatsky, a mãe da Teosofia moderna, disse um dia: "o maior mal da Humanidade é a ignorância!"
De facto, a ignorância leva à intolerância, esta ao ódio e esta à guerra com as nefastas consequências que conhecemos.
Basta olharmos para o que tem sido o mundo passado e presente, com as suas várias formas de discriminar pessoas e as suas terríveis consequências, para lhe darmos razão.
A ignorância é mesmo terrível, principalmente quando mascarada de sapiência e de altos valores.
Mas o que me deixa mais perplexa é ver que certas pessoas, como o autor deste post, ainda não perceberam que o casamento entre pessoas do mesmo sexo é um processo irreversível e, que, de nada lhes vale fazerem alarde da sua homofobia.
Eu sou lésbica, sim, e garanto-lhe que viver numa sociedade homofóbica é muito difícil e exige a coragem que muitos dos anónimos que aqui vieram, com a comodidade da sua "normalidade" vilipendiar os homosseuais, não têm.
Eu é que lhe digo João Paulo Geada: Basta de ignorância, ignomínia e intolerância!
Desejo-lhe, sinceramente, que no futuro a vida lhe dê um pouco mais de iluminação.

Anónimo disse...

Tanta parvoice, lugar comum, falta de bom senso e de conhecimento da realidade num só post é obra!!! Parabéns por ter concentrado tanta parvoice em tão pouco espaço! well done. É como dizer que os algarvios são todos uns badalhocos, só porque vão à praia. Uma estupidez, portanto. Não tem onde gastar melhor o seu tempo e neurónios?

Zé Ribeiro disse...

Trata-te, que precisas ( o autor do post, claro ).
Beijinhos,
ZR.

Anónimo disse...

Como é possível dizer tanto disparate em tão poucas linhas. Coitado de si (autor). Se há aqui alguém com problema(s) é definitivamente Vossa Excelência. E já agora, que tal começar a confundir bocilidade com inteligência?

H disse...

O autor do post tem a sua opinião. Eu tenho a minha : ridículo.

Siona disse...

Este senhor (autor do post) deve é andar com falta de sexo. Dificilmente de outro modo sairia tanta asneirada num único post. Acho que já umas festinhas, ou um abraço, o faziam relaxar mais um bocadinho, e, no futuro, havia de se preocupar com os problemas sérios da sociedade.

Nuno Dias Mendes disse...

Este texto é de uma boçalidade ignóbil e nem merece resposta.

pinguim disse...

Aberração não é ser homossexual; é ter a confusão de ideias que o senhor autor deste texto possui; não sei se é casado, se tem filhos, ou o que quer que seja, mas se por acaso os tiver, espero que não pense como outro da sua laia, que afirma que se tivesse um filho homossexual, preferia vê-lo morto. Enfim, o que vale é que "vozes de burro não chegam aos cèus"...

Perdido disse...

Eu tinha um grande preconceito relativamente a muitas das pessoas dos movimentos pró-vida: achava que eram pessoas com ideias retrogradas, acabadas, associava-as a mentalidades tacanhas. Mas sentia-me mal , porque detesto preconceitos e julgar os outros.

Mas agora tenho de agradecer o post. porque me limpou a consciencia, sabe?

CJT disse...

Pois claro! Apoiado! Vamos acabar com a tuberculose!
Tem honras de post lá no Fractura e, não por acaso, este post chama-se "Da Estupidez".
E ficamos a saber quem é o João...
Tudo, ou quase, em http://fractura.net/blog/?p=277

PoL disse...

«Ao contrário da intransigência e rigidez da moral de há 2 mil anos, (...)»
a rigidez moral é algo de mui recente... felizmente, essa rigidez moral parece ter tendência a ficar pelas franjas minoritárias & radicais da nossa sociedade.

Anónimo disse...

O texto é tão pobrezinho que nem merece ser tão comentado!!Mas,pronto,cá fica mais um...Triste!!!
Anabela

Anónimo disse...

A maioria destes comentadores manifestam uma ignorância gritante. Deixam-se levar pela lavagem ao cérebro das fufas jornalistas e dos rabetas professores universitários que andam aí malucos a dizer que ser homossexual é igual a ser heterossexual.
Ó meus ignorantes leiam-me isto http://www.providafamilia.org.br/doc.php?doc=doc49291 e depois venham dizer que a Patrícia Lança não tem razão.
Este pessoal não pensa pela própria cabeçã. São umas ovelhinhas do lobby gay.

Anónimo disse...

Tanto quanto sei também heterosexuais praticam sexo anal, oral, sadomasoquismo, sexo com menores e as restantes práticas mencionadas nesse site repleto de ignorância.

Todas essas práticas sexuais tão referidas não são de maneira nenhuma exclusivas dos homossexuais, podendo, qualquer pessoa que deseje, praticá-las também.

Zeca Diabo disse...

Por mais que não queiram, um paneleiro será sempre um paneleiro e uma fufa, uma fufa.
Não são coisas correntes e usuais, são excepções !
Os comentadores do bloco de esquerda que metam bem isto na cabeça.
Estou como o autor do post, ninguém tem que aturar as vossas taras por mais que queiram não é com lavagens ao cérebro que uma coisa aberrante e contranatura passa a ser normal !!!!

MRC disse...

Sobre os malefícios para a saúde do sexo anal, veja-se em http://www.soc.ucsb.edu/sexinfo/?article=faq&refid=125
um artigo da Universidade de Sta Bárbara da California nos EUA.

Anónimo disse...

Os rabetas só querem ter o direito a casar para se sentirem legitimados socialmente para continuarem a fazer os bacanais de sexo anal por esse mundo fora.
Nada que um bom psiquiatra não trataria...

Murilo Lima disse...

Texto preconceituoso, irresponsável, ignorante e criminoso.

Murilo Lima disse...

Texto preconceituoso, irresponsável, ignorante e criminoso.